Gabinete do Plano do Zambeze, em Moçambique, investe em fábricas para cereais

28 July 2009

Maputo, Moçambique, 28 Jul – O Gabinete do Plano de Desenvolvimento do Vale do Zambeze (GPZ) vai investir cerca de 50 milhões de dólares norte-americanos, na construção de três fábricas de processamento de cereais, nas províncias da Zambézia, Manica e Tete, centro de Moçambique.

Segundo o jornal Notícias de hoje o director-geral do GPZ, Sérgio Vieira, revelou que a primeira das fábricas vai ser construída, a partir deste ano, no distrito de Angónia, província de Tete e terá capacidade de processar cerca de 25 mil toneladas de milho.

Angónia e Tsangano constituem os dois distritos da província de Tete principais produtores de cereais, sobretudo milho e trigo, que por falta de mercado e de condições de processamento têm sido vendidos no vizinho Malawi.

Sérgio Vieira disse também que a segunda fábrica vai ser construída em Namacurra, na província da Zambézia, com capacidade para 25 mil toneladas de arroz e uma terceira fábrica de milho será construída em Manica que à semelhança da Angónia é uma zona com grande produção daquele cereal.

O director-geral do GPZ considerou , no entanto, que mesmo com a construção das três fábricas a capacidade de armazenamento de cereais no vale do Zambeze fica muito aquém da produção que se regista na zona.

O governo de Moçambique está a construir seis silos de cereais na cidade de Tete com capacidade para 50 mil toneladas, e um outro em Angónia também na mesma província.

Ainda segundo as autoridades agrícolas da zona o governo irá ainda investir 15 milhões de dólares numa fábrica de de processamento de cereais nos arredores de Tete.(macauhub)

MACAUHUB FRENCH