Grupo Mota-Engil admite que subsidiária angolana pode ser parceira privilegiado da Energias de Portugal em Angola

14 August 2009

Lisboa, Portugal, 14 Ago – O grupo Mota-Engil admitiu quinta-feira que a Mota-Engil Angola pode ser um dos “parceiros privilegiados” para a construção de infra-estruturas de produção de energia em Angola, no âmbito da parceria que a construtora tem com a EDP – Energias de Portugal.

O Diário Económico noticiou na sua edição de quinta-feira que “a Mota-Engil admite parceria com a EDP no mercado angolano”, acrescentando que “a petrolífera angolana Sonangol é o elo de ligação entre as duas empresas portuguesas”.

Num esclarecimento enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) na sequência da notícia publicada pelo Diário Económico, a Mota-Engil recorda o memorando de entendimento para a criação da Mota-Engil Angola, comunicado a 16 de Junho, bem como o acordo de parceria para a análise de investimentos na produção de electricidade em Angola, anunciado a 30 de Julho.

“Se, de facto, estas parcerias se vierem a concretizar, a Mota-Engil entende como natural que a Mota-Engil Angola possa ser um dos parceiros privilegiados para a construção das infra-estruturas de produção de energia no âmbito da referida parceria com a EDP”,

Detida em 51 por cento pela Mota-Engil e em 49 por cento por um consórcio angolano – detido maioritariamente pela Sonangol Holdings e pelo Banco Privado do Atlântico – a Mota-Engil Angola tem como função a actividade de construção e obras públicas naquele país africano. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH