Governo de Moçambique aprova investimentos na produção de biocombustíveis

20 August 2009

Maputo, Moçambique, 20 Ago – O governo de Moçambique aprovou terça-feira dois projectos de produção de biocombustíveis para a província de Sofala, centro de Moçambique, no âmbito da estratégia de redução da dependência energética.

O consórcio Zambeze Grown Energy Limited, com capitais privados de Moçambique, Ásia e África do Sul, ganhou uma concessão de 15 mil hectares, no distrito de Chemba, província de Sofala, com o objectivo de produzir cana-de-açúcar para a geração de biocombustíveis, disse o porta-voz do Conselho de Ministros moçambicano, Luís Covane.

O consórcio vai produzir 100 milhões de litros de álcool por ano, num investimento estimado em mais de 224 milhões de dólares.

“Dos 100 milhões de álcool que serão produzidos por ano, 10 por cento serão vendidos no mercado interno e os restantes vendidos na Europa, Estados Unidos da América e Japão, enquanto a energia produzida será integrada na rede nacional”, acrescentou Luís Covane.

O Conselho de Ministros aprovou ainda a concessão à Enerterra, uma sociedade com capitais privados de Moçambique e de Portugal, uma concessão de 18.920 hectares no distrito de Cheringoma, província de Sofala, para a produção da jatrofa, uma planta reconhecida como apta para a produção de combustível.

A Eneterra pretende investir 53 milhões de dólares na produção de biocombustíveis, 90 por cento dos quais serão exportados para a Europa e 10 por cento vendidos em Moçambique.

Com a autorização concedida às duas empresas, passam a 14 as firmas envolvidas em investimentos para a produção de biocombustíveis em Moçambique. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH