Associação Industrial de Angola quer alteração no modelo de importação de bens

24 August 2009

Luanda, Angola, 24 Ago – O presidente da Associação Industrial de Angola (AIA) disse sexta-feira em Luanda ser imperioso adoptar um modelo de importação mais virado para os bens de capital.

José Severino disse à agência noticiosa angolana Angop que Angola “regista um dispêndio cambial de 80 por cento na importação de bens de consumo e apenas 20 por cento de bens de capital”.

Para a inversão deste quadro, defende mais investimentos nos sectores da agricultura e da agro-indústria que, frisou, “dinamizados podem dar ao país maior sustentabilidade.”

O presidente da AIA sugeriu a revitalização da produção do café, de modo a aproveitar-se a alta do preço no mercado internacional e as vantagens da comercialização no exterior.

José Severino considerou, também, importante a exploração de banana, abacaxi, milho, algodão e madeira, de modo que, em um ou dois anos, se inicie a produção de matérias-primas capazes de proporcionar ao país uma exportação diversificada. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH