Guiné-Bissau exportou mais de 132 mil toneladas de castanha de caju

25 August 2009

Bissau, Guiné-Bissau, 25 Ago – A Guiné-Bissau exportou até ao momento mais de 132 mil toneladas da castanha do caju, a melhor campanha de comercialização do principal produto de exportação do país, disse segunda-feira em Bissau o director-geral do Comércio e Concorrência.

Em declarações à agência noticiosa portuguesa Lusa, Hélder Barros adiantou que o montante já exportado para a Índia, principal mercado comprador do produto, supera a meta antecipada de 120 mil toneladas.

Para atingir as mais de 132 mil toneladas exportadas até o dia 23 de Agosto, foi efectuado um controlo rigoroso das fronteiras terrestres do país, através das quais passava, de forma ilegal, grande quantidade da castanha, afirmou Hélder Barros.

Em números redondos, o país deverá arrecadar cerca de 80 milhões de dólares com a exportação da castanha de caju, disse o director-geral do Comércio e Concorrência, sublinhando que o governo está satisfeito com os resultados alcançados.

Hélder Barros sublinhou, contudo, que os acontecimentos políticos e militares de Março (assassínios do Presidente da República e do Chefe das Forças Armadas) e Junho (assassínios de dois deputados acusados de tentativa de golpe de Estado) influenciaram negativamente o desenrolar da campanha de comercialização do caju.

“Muitos operadores estrangeiros abandonaram o país quando se deram estes acontecimentos. O que influenciou negativamente o preço ao comprador”, disse Hélder Barros, sublinhando que se houver estabilidade política a Guiné-Bissau poderá um dia chegar “facilmente” às 150 mil toneladas da castanha de caju. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH