Banco de Moçambique reduz custos de serviços financeiros

24 September 2009

Maputo, Moçambique, 24 Set – O Banco de Moçambique anunciou a adopção de medidas normativas para a cobrança de comissões e outros encargos de modo a tornar menos menos onerosos os serviços financeiros em Moçambique.

De acordo com o Governador do Banco de Moçambique, Ernesto Gove, as medidas que entraram em vigor a um de Setembro visam regulamentar o dever das Instituições de Crédito e Sociedades de Finanças – ICSF de facultar informação sobre as taxas a praticar nas operações passivas e activas, bem como dos encargos a cobrar em cada operação.

“O objectivo é proteger o consumidor dos serviços financeiros. Há alguns serviços que não devem ser cobrados, porque, por exemplo, o cliente tem direito de saber qual é o saldo da sua conta, obter, pelo menos, um extracto de conta por mês e muitas outras operações que não fazem sentido cobrar”, referiu Ernesto Gove citado hoje pelo jornal Notícias.

As novas medidas proibem a cobrança de comissões e outros encargos no fornecimento de extracto de conta por mês, levantamento de numerário em moeda nacional no balcão, realização de consultas de saldo e movimentos de conta uma vez ao dia no ATM, balcão ou através de outros meios electrónicos.

O sector financeiro carecia de normativos para regular todas as taxas aplicáveis nos serviços bancários, o que resultava na cobrança de uma multiplicidade de comissões por uma única transacção.(macauhub)

MACAUHUB FRENCH