Governador da Huíla, Angola, considera insuficiente investimento na nova zona industrial do Lubango

9 October 2009

Lubango, Angola, 9 Out – O governador da Huíla afirmou quarta-feira ser insuficiente o número de empresários existentes na província para investir nas reservas fundiárias projectadas para a construção das novas zonas industriais do Mutundo e Eywa, nos arredores da cidade do Lubango.

Falando no final de uma visita às áreas onde serão construídas as fábricas de fertilizantes, cerâmicas, tintas, porto seco e transformação de granito, Isaac dos Angos disse que, em função do número dos hectares disponíveis em ambas as áreas, a classe empresarial na província não será suficiente para realizar projectos que ocupem o espaço.

Em face da constatação, o chefe do executivo da Huíla convidou os empresários nacionais e estrangeiros a investirem na província, pois o governo provincial tem disponíveis talhões para ceder aos interessados que queiram construir fábricas, centros comerciais, unidades hoteleiras, indústrias de exploração de granito e outras.

Apesar de não revelar a extensão dos espaços, Isaac dos Anjos adiantou que o investimento nestas zonas vai dar lugar a uma nova imagem da cidade e permitir o seu crescimento, uma vez que vai atrair os munícipes dos centros urbanos.

Durante a visita de campo, o governador visitou o local onde ficará a feira agro-pecuária do sul de Angola (com uma área de 200 hectares), o autódromo internacional da Huíla, terminal regional sul da Sonangol e terreno para a construção do centro de recuperação e integração de deficientes. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH