Investimentos na silvicultura criam empregos no Niassa, Moçambique

12 October 2009

Maputo, Moçambique, 12 Out – Perto de três mil postos de trabalho, entre efectivos e sazonais, foram criados na província do Niassa nos últimos cinco anos devido a investimentos em silvicultura, de acordo com o jornal Notícias, de Maputo.

Adiantando que a província do Niassa dispõe de um potencial florestal avaliado em 676 mil hectares, o jornal indica que estão envolvidas no reflorestamento, com objectivos comerciais, as empresas Chikweti Forest, Fundação Malonda, Florestas do Niassa, Green Resources e New Forest Malonda.

De 2005 até ao início de 2008 foram plantados na província cerca de 10.180 hectares, dos quais 118 nas comunidades, 88 nas áreas do Estado (pinhal em volta da capital Lichinga) e 9974 hectares pelo sector privado.

Mesmo assim, segundo dados facultados pela Direcção Provincial da Agricultura de Niassa, em termos de aproveitamento do potencial, a área plantada pelo sector privado corresponde a apenas 1,5 por cento da capacidade.

A expectativa das autoridades provinciais é de que o número de postos de trabalho, bem como a área plantada, venha a crescer nos próximos anos atendendo que aquele ponto do país tem sido, nos últimos anos, o destino de investimentos para a área de plantações florestais.

De acordo com a Direcção Provincial da Agricultura do Niassa, os recursos florestais e faunísticos têm uma especial importância naquela província, dada a sua dimensão ambiental, social e económica.

Com efeito, estudos recentes indicam que em termos absolutos, Niassa possui a maior cobertura florestal do país, estimada em 9,4 milhões de hectares, significando que 77 do seu território está coberto por floresta, que alberga grande quantidade de espécies de flora e fauna bravia. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH