Moçambique lança estudo de impacto ambiental para recuperação de estrada

14 October 2009

Maputo, Moçambique, 14 Out – A Administração Nacional de Estradas (ANE) de Moçambique encomendou um estudo de impacto ambiental para o projecto de recuperação e alargamento da EN 106, ligando Namialo e Metoro, nas províncias de Nampula e Cabo Delgado, respectivamente.

O estudo resulta do facto das obras de recuperação e alargamento do tro,o, numa distância de 222 quilómetros, poderem vir a afectar as comunidades e algumas benfeitorias ali existentes.

“O objectivo da consulta pública é de apresentar o estudo de pré-viabilidade, recolher as preocupações, comentários e opiniões relacionadas com o projecto das partes interessadas e afectadas”, refere um documento distribuído à Imprensa pela ANE e Millennium Challange Account (MCA) Moçambique.

Para além da Estrada Namialo/Metoro, um troço que liga as cidades de Nampula e Pemba, o projecto contempla ainda as estradas Nampula/Rio-Ligonha (102 km) e Nicoadala/Chimuara (167 km), empreitadas que custarão ao MCA mais de 176,3 milhões de dólares.

Para além da componente estradas, o MCA contempla ainda a área de agricultura, que projecta plantar mais de um milhão de coqueiros nas províncias da Zambézia e Nampula, nos próximos cinco anos, num investimento superior a 17 milhões de dólares.

Em Janeiro deste ano começou a colocação de um total de 50 mil mudas de coqueiros na zona norte da Zambézia e na zona sul de Nampula, num investimento inicial de 135 mil dólares.

A primeira fase do projecto desenvolve-se no distrito de Nicoadala, onde serão plantadas 20 mil mudas e na zona de Maquival 10 mil mudas, cabendo as restantes 20 mil mudas à província de Nampula, para as plantar nos distritos de Moma e Angoche.

O MCA actua, igualmente, nos sectores de água e saneamento com 203,6 milhões de dólares, na informatização do cadastro nacional de terras com 39,1 milhões de dólares e no relançamento do coqueiro na Zambézia e Nampula com 17,4 milhões de dólares. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH