Queimadas descontroladas em Moçambique prejudicam produção de castanha de caju

22 October 2009

Maputo, Moçambique, 22 Out – A meta de 90 mil a 95 mil toneladas estabelecida para a produção de castanha de caju poderá não ser cumprida devido à ocorrência em Moçambique de queimadas descontroladas, afirmou a directora nacional do Instituto de Fomento do Caju (Incaju).

Em declarações ao jornal Notícias, de Maputo, à margem da cerimónia de lançamento da campanha de comercialização da castanha de caju, aberta terça-feira última no posto administrativo de Itoculo, distrito de Monapo, em Nampula, Filomena Maiópuè afirmou que o fenómeno de queimadas descontroladas tem devastado vários milhares de cajueiros em idade produtiva.

“Podia dizer que o Incaju começa a sentir-se impotente para travar este fenómeno um pouco por todo o país, com destaque para as províncias produtoras de caju, uma vez que a prática de queimadas descontroladas está a assumir proporções alarmantes de ano para ano, mas vamos trabalhar com os governos distritais para convencer as populações a abandonar aquela prática”, disse Filomena Maiópuè.

Na ocasião, afirmou não possuir dados estatísticos relativos ao número aproximado de cajueiros que este ano foram destruídos pelas queimadas, mas referiu que o fenómeno afectou milhares de plantas em idade produtiva, parte das quais beneficiaram de tratamento fitossanitário contra pragas e doenças que atacam esta cultura. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH