Brasileira Vale associa-se à moçambicana Insitec para investir em Nacala, Moçambique

27 October 2009

Nacala, Moçambique, 27 Out – A linha de caminho-de-ferro e o porto de Nacala, na província de Nampula, vão ser recuperados com apoio brasileiro, o maior investimento no sector dos transportes em Moçambique, nos termos de um acordo sexta-feira assinado em Nacala.

O acordo assinado naquela cidade, que dispõe do mais importante porto de águas profundas de Moçambique, envolve a multinacional brasileira Vale, o consórcio moçambicano Insitec (representando o Corredor de Nacala) e o governo de Maputo, teve lugar depois de cerca de um ano de negociações e representa um investimento de 1,6 mil milhões de dólares.

A Vale tem em Moatize, na província de Tete, a concessão para explorar uma mina de carvão de onde espera extrair numa primeira fase 10 milhões de toneladas por ano.

O problema coloca-se no transporte do carvão até ao mar, já que a linha férrea do Sena, que liga Moatize à cidade da Beira, e o corredor de Nacala, ligando também Moatize mas a Nacala (mais a Norte), não têm capacidade de escoamento, levando mesmo a australiana Riversdale, outra multinacional a explorar o carvão de Moatize, a equacionar transportar o carvão em barcaças, pelo rio Zambeze.

Sexta-feira, centenas de pessoas reuniram-se em Nacala para ouvir Celso Correia, presidente da Insitec, Roger Agnelli, presidente da Vale, e Paulo Zucula, ministro dos Transportes e Comunicações de Moçambique.

E porque a linha atravessa o Malawi para chegar à província de Tete e a Moatize, esteve também presente Khumbo Hastings Kachali, ministro dos Transportes do Malawi, que não escondeu a satisfação pelo projecto, uma forma privilegiada de o país, interior, poder escoar os produtos para o Oceano Indico.

“Nacala pode ser uma plataforma logística que pode jogar um papel importante a nível regional e até mundial”, levando a linha-férrea também à Zâmbia e à República Democrática do Congo e fazer de Nacala “a capital da província de Nampula”, disse o ministro.

“Não é só a linha férrea e o porto de Nacala, também será a transformação do aeroporto de Nacala num aeroporto internacional. Já foram dados passos para que a construção comece no próximo ano”, anunciou.

O projecto, denominado Nacala XXI, tem em conta as boas condições portuárias e engloba obras no porto, na linha de caminho-de-ferro e a construção de um terminal multi-usos, devendo estar na fase inicial de operações dentro de três a quatro anos. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH