Autoridades de Timor-Leste reapreciam projecto de grupo financeiro português para abertura de um banco

29 October 2009

Díli, Timor-Leste, 29 Out – As autoridades timorenses estão a analisar o projecto do grupo financeiro português Caixa Geral de Depósitos (CGD) para a criação de um banco de direito timorense, revelou quarta-feira o jornal Timor Post, publicado em Díli.

De acordo com o matutino, o primeiro-ministro Xanana Gusmão resolveu reabrir o processo, levando-o à discussão no encontro semanal com o Presidente da República, antes da partida deste para a Coreia do Sul.

A proposta de criação de um banco de direito nacional às autoridades timorenses foi apresentada pela CGD pela primeira vez em 2003, mas nunca chegou a avançar e não tendo a comissão constituída para estudar a proposta chegado a apresentar qualquer relatório.

A Caixa Geral de Depósitos esteve ligada ao início do sistema bancário de Timor Leste no ano 2000, estabelecendo uma sucursal com a designação Caixa Geral de Depósitos (CGD/BNU).

Hoje possui a maior rede comercial em Timor-Leste, estando presente em Baucau, Viqueque, Maliana, Batugadé, Suai, Ermera (Gleno), Oéccusi e Díli.

Além da CGD/BNU, de acordo com a Autoridade de Pagamentos o sistema bancário do país é constituído por outros bancos comerciais, como o Australia New Zeland Bank (ANZ), com sede na Austrália, e o Mandiri Bank, com sede na Indonésia.

Existe ainda a “Instituição de Micro-Finanças de Timor-Leste”(IMFTL), com sede em Díli, criada pelo governo com o apoio financeiro dos doadores e o patrocínio do Asia Development Bank (ADB), destinada a apoiar operações de micro-crédito. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH