Competitividade da região do delta do rio das Pérolas passa pela integração económica de 11 centros urbanos

29 October 2009

Macau, China, 29 Out – O desenvolvimento conjunto de estratégias de integração económica e social do delta do rio das Pérolas é fundamental para que a região se transforme num dos pólos mais competitivos do mundo, defende um estudo quarta-feira apresentado em Macau.

O estudo, realizado por mais de 30 especialistas, recomenda a construção de centros urbanos de nível mundial, através da cooperação entre as autoridades da província chinesa de Guangdong e das duas regiões administrativas especiais, Macau e Hong Kong, no que respeita à exploração de recursos, protecção ambiental e desenvolvimento de infra-estruturas de transportes.

Um dos objectivos do governo chinês é a dinamização a região do delta do rio das Pérolas, que abrange mais de 40 mil quilómetros quadrados no sul da China e inclui Macau, Hong Kong e nove cidades da província de Guangdong, cuja capital é Cantão.

O objectivo é o “desenvolvimento económico, uma maior integração social e a melhoria da qualidade ambiental para se conseguir um desenvolvimento sustentável e o aumento da competitividade internacional da região”, salientou Francis Wong, do gabinete do Secretário para os Transportes e Obras Públicas de Macau, durante a apresentação dos resultados daquele que é o primeiro estudo de planeamento regional estratégico.

De acordo com as orientações dos especialistas, as autoridades deverão, até 2012, centrar a sua atenção na redução do impacto da crise financeira, através de uma maior cooperação regional e da reestruturação industrial.

Posteriormente e até 2020, as autoridades deverão facilitar a circulação de pessoas e bens na região e, até 2030, promover um elevado grau de integração económica entre os 11 centros urbanos.

A investigação recomenda que as autoridades de Macau, Hong Kong e Guangdong apostem no desenvolvimento de uma rede de transportes inter-regional, que abranja aeroportos, portos, linhas ferroviárias, estradas e pontes e na facilitação do trânsito nas fronteiras, de modo a tornar mais eficiente a circulação de pessoas e bens na região.

Por outro lado, os especialistas defendem que o potencial e as vantagens competitivas de cada centro urbano deverão ser explorados numa perspectiva de complementaridade, assente no papel de cada cidade: Hong Kong como centro de serviços, Macau como centro de lazer e plataforma comercial e a cidade vizinha de Zhuhai como entreposto comercial. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH