BAD quer acelerar desembolso de fundos para projectos em Moçambique

30 October 2009

Maputo, Moçambique, 30 Out – A representante do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) em Moçambique afirmou em que a instituição pretende acelerar o processo de desembolso de fundos para os projectos aprovados para serem executados no país, informou o jornal Notícias, de Maputo.

Assim, Alice Hamer apelou ao governo e a todos os que têm por tarefa a execução desses projectos para que entreguem atempadamente a documentação necessária.

“Tem-se notado, com alguma frequência, atrasos na apresentação de documentos para cumprimento das condições de efectividade dos projectos, depois da aprovação dos acordos financeiros respectivos pelo Conselho de Administração do banco. Para contrariar esta tendência, as duas partes estão a fazer esforços para reduzir ao mínimo possível esse tempo e começar, imediatamente, com os desembolsos, tal como previsto nos documentos”, disse Alice Hamer.

Hamer frisou ainda que as operações do BAD em Moçambique têm conhecido um aumento contínuo desde que, em 1977, foi financiado o primeiro projecto no país, pouco depois da independência nacional, que ocorreu em 1975.

Afirmou ainda que o Banco Africano de Desenvolvimento tem vindo a concentrar as suas operações na área de infra-estruturas, o que coincide com a estratégia de desenvolvimento inscrita no Plano de Acção para a Redução da Pobreza (PARPA).

Recentemente, o BAD e o governo de Moçambique assinaram três acordos de crédito para financiar vários projectos, um dos quais destinado ao abastecimento de água e saneamento para as cidades de Lichinga e Cuamba, na província de Niassa, no valor de 27 milhões de dólares, outro para obras de emergência na barragem de Massingir, província de Gaza, no valor de 20 milhões e um terceiro para a asfaltagem da estrada Nampula-Cuamba, numa extensão de 350 quilómetros, no valor de 160 milhões de dólares. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH