Fábrica de medicamentos anti-retrovirais em Moçambique estará a funcionar até ao final do ano

17 November 2009

Maputo, Moçambique, 17 Nov – A primeira fase da fábrica de medicamentos anti-retrovirais estará em funcionamento até ao final do ano, informou o jornal Notícias, de Maputo, citando a garantia apresentada pelo ministro brasileiro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

A instalação da fábrica de medicamentos anti-retrovirais enquadra-se na estratégia de cooperação entre o Brasil e Moçambique e está a ser executada pela Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), que desde Outubro último abriu o seu escritório em Maputo.

O ministro brasileiro Miguel Jorge, que na semana passada esteve em Maputo chefiando uma missão empresarial, depois da fábrica entrar em funcionamento serão posteriormente transferiados a tecnologia e os equipamentos necessários para a produção local dos medicamentos.

Além dos anti-retrovirais, a fábrica deverá também produzir outros fármacos genéricos, designadamente anti-maláricos, antibióticos e tuberculostáticos.

De acordo com a Fundação Osvaldo Cruz, uma instituição que trabalha na área de ciência e tecnologia em saúde, vinculada ao governo brasileiro e que desenvolve vários projectos de cooperação em Moçambique, a primeira fase do empreendimento custa perto de nove milhões de dólares, dois milhões dos quais serão desembolsados pelo governo de Moçambique.

Desde 2003, aquando da visita do presidente brasileiro a Moçambique, Lula da Silva, que se fala deste projecto que só teve luz verde do Senado brasileiro na semana passada e, basicamente, a primeira fase do empreendimento consistirá no embalamento dos medicamentos anti-retrovirais. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH