Empresas dos países de língua portuguesa interessadas no mercado da União Económica Monetária da África Ocidental

20 November 2009

Bissau, Guiné-Bissau, 20 Nov – A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) vê com bons olhos a entrada das suas empresas no mercado da União Económica e Monetária da África Ocidental, da qual faz parte a Guiné-Bissau, disse quinta-feira em Bissau um responsável daquela organização.

O secretário-geral do Conselho Empresarial da CPLP, Francisco Mantero, disse as empresas dos países de língua oficial vêem com “muita expectativa” a possibilidade de uma abertura das suas actividades para “um mercado de 240 milhões de pessoas” a partir da Guiné-Bissau.

“A Guiné-Bissau é o único Estado da CPLP que é também membro da UEMOA. Estamos a analisar aquilo que terá de ser feito para que a Guiné-Bissau seja uma plataforma dos interesses lusófonos na região da UEMOA”, afirmou Francisco Mantero, à saída de uma audiência com o primeiro-ministro guineense.

Além da Guiné-Bissau, fazem parte da UEMOA o Senegal, Mali, Togo, Benin, Burkina-Faso, Níger e Costa do Marfim.

Francisco Mantero encontra-se em Bissau no âmbito dos preparativos finais para a realização da assembleia-geral extraordinária do Conselho Empresarial da CPLP, que irá transformar a organização em confederação empresarial e realização da semana empresarial da comunidade lusófona.

Os dois acontecimentos terão lugar de 7 a 14 de Dezembro em Bissau. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH