Mais ligações marítimas entre países de língua portuguesa precisam-se

4 December 2009

Fortaleza, Brasil, 4 Dez – O presidente da Associação de Portos de Portugal (APP) defendeu quinta-feira em Fortaleza, Brasil, que é preciso criar condições para “assegurar ligações marítimas mais directas entre os países de língua portuguesa”.

“A logística global permite hoje que qualquer carga seja entregue no destino em boas condições, mas ainda não existem muitas ligações directas”, afirmou João Pedro Matos Fernandes, também presidente do Conselho de Administração do Porto de Leixões.

De acordo com o dirigente, a região norte de Portugal é fortemente exportadora, com destino sobretudo para África, mas, disse, “as ligações directas entre o Brasil e Portugal, no geral, e com Leixões, em particular, ainda são muito ténues”.

À margem do II Encontro de Portos da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), que terminou quinta-feira, o presidente da APP reconheceu como relevante nesse processo o equilíbrio entre as quantidades transportadas dos diversos países, pois um navio que regressa vazio é um mau negócio para o armador.

O Presidente da APP destacou que Leixões fez um grande investimento e “tem condições para ser um porto global no comércio entre a Península Ibérica, com 50 milhões de habitantes, a costa do Brasil e a África Atlântica”.

Destacou ainda que para Leixões o porto do Pecém (no Ceará) “é de grande relevância do ponto de vista das condições de mar e de infra-estruturas”. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH