Governo de Moçambique declara nulo contrato com a Procana

4 January 2010

Maputo, Moçambique, 4 Jan – O governo de Moçambique declarou nulo um contrato assinado em 2007 com a Procana para a produção de etanol a partir de cana-de-açúcar, informou a agência noticiosa moçambicana AIM.

O investidor inicial da Procana era a Central African Mining and Exploration Co., com sede em Londres, que em Agosto passado criou a Bioenergy Africa, que recebeu 94 por cento das acções da Procana.

A Bioenergy Africa mudou posteriormente de nome para Sable Mining estando registado no paraíso fiscal das Ilhas Virgens britânicas, nas Caraíbas.

Nos termos do contrato, a Procana deveria ter investido mais de 500 milhões de dólares no projecto, que seria o primeiro a produzir biocombustíveis em Moçambique.

A unidade de Massingir deveria produzir tanto açúcar como etanol sendo os restos a serem reciclados tanto para adubos como para a produção de energia.

O vice-ministr da Educação e porta-voz do Conselho de Ministros, Luís Covane, disse que o contrato foi declarado nulo uma vez que a Procana não respeitou as suas obrigações contratuais, tendo-se limitado a limpar 800 hectares de terreno de um total de 30 mil hectares. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH