Moeda de São Tomé e Príncipe está desde 1 de Janeiro indexada ao euro

4 January 2010

São Tomé, São Tomé e Príncipe, 4 Jan – São Tomé e Príncipe é desde dia 1 de Janeiro o segundo país de língua oficial portuguesa a ter a sua moeda em paridade cambial com o euro, passo que promete trazer mais investimento, mas pode também criar dificuldades de adaptação.

Quando ainda se discutia se a melhor opção para indexação monetária (“peg”) da dobra seria o euro, o dólar ou mesmo o franco CFA, cinco economistas defenderam num estudo do Fundo Monetário Internacional, em Maio de 2008, a opção pela moeda europeia, dado que é na Zona Euro que estão os mais importantes parceiros comerciais são-tomenses, como Portugal, Espanha e França.

O futuro da dobra são-tomense começou a ser repensado face à escalada do preço de bens importados essenciais, como o arroz e os combustíveis, para a população, devido ao enfraquecimento da moeda em relação às divisas internacionais.

O sucesso da alteração monetária, alertam os autores do estudo, está dependente do reforço da transparência, de disciplina fiscal e gestão prudente da dívida, reformas estruturais para facilitar o investimento privado e aumentar a flexibilidade laboral.

Cabo Verde, que tem em comum com São Tomé o facto de ser uma pequena economia insular e aberta, indexou o seu escudo ao euro em 1999, com o apoio de Portugal.

A indexação da dobra resulta de um Acordo de Cooperação Económica (ACE) entre Lisboa e São Tomé, assinado a 28 de Julho deste ano na capital são-tomense, depois de mais um ano de contactos entre os ministérios das Finanças e bancos centrais.

No âmbito deste acordo, Portugal colocou à disposição do arquipélago uma linha de crédito de 25 milhões de euros. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH