Administração da cimenteira portuguesa Cimpor rejeita OPA da brasileira CSN

8 January 2010

Lisboa, Portugal, 8 Jan – A administração da cimenteira portuguesa Cimpor rejeitou quinta-feira, por unanimidade, a Oferta Pública de Aquisição (OPA) lançada pela brasileira Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), considerando-a hostil.

“Na reunião hoje realizada, o conselho de administração da Cimpor deliberou, por unanimidade, rejeitar a Oferta e recomendar aos seus accionistas que nela não vendam as suas acções”, lê-se no relatório da cimenteira sobre a oportunidade e as condições da oferta da CSN, divulgado através da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Entre os maiores accionistas da Cimpor estão a construtora portuguesa Teixeira Duarte (22,9 por cento), a cimenteira francesa Lafarge (17,3 por cento), o empresário Manuel Fino (10,7 por cento) e o grupo estatal financeiro Caixa Geral de Depósitos (9,6 por cento).

De acordo com o documento, o conselho de administração da Cimpor considerou a oferta, anunciada a 18 de Dezembro, “hostil, porque oportunística, irrelevante e perturbadora da actividade” da cimenteira portuguesa.

Na base da recomendação do conselho de administração da Cimpor estão várias razões, nomeadamente o valor de 5,75 euros por acção oferecidos pela CSN, uma “oferta que subavalia significativamente” a cimenteira, bem como o facto de a empresa brasileira não oferecer um prémio aos accionistas, segundo o relatório.

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) já pediu esclarecimentos adicionais à CSN sobre a OPA para que autorize, ou não, o avanço da operação, que implica um investimento de 3,864 mil milhões de euros.

A Cimpor opera em Portugal, Espanha, Marrocos, Tunísia, Egipto, Turquia, Brasil, Moçambique, África do Sul, Cabo Verde, Peru, Índia e China, país onde em 2008 adquiriu a totalidade do capital da cimenteira Liyang Dongfang Cement Co (Liyang). (macauhub)

MACAUHUB FRENCH