Banco central de Moçambique apela à prudência apesar da recuperação da economia

28 January 2010

Maputo, Moçambique, 28 Jan – O governador do Banco de Moçambique, Ernesto Gove, apelou quarta-feira ao governo do país para que seja prudente na gestão financeira, apesar das previsões optimistas do desempenho da economia mundial a partir deste ano.

Falando na abertura do 24º Conselho Consultivo do Banco de Moçambique, que quarta-feira se iniciou em Maputo, Ernesto Gove assinalou que, após a crise financeira mundial, as previsões do desempenho da economia para este ano são optimistas, mas esses indicadores “deverão ser vistos com algumas cautelas”.

“A melhoria dos indicadores de actividade económica, bem como dos indicadores nas economias desenvolvidas e nos países emergentes, continua a sustentar as previsões optimistas mais recentes sobre o desempenho da economia mundial a partir de 2010”, disse o governador do banco central moçambicano.

“Contudo, esses sinais deverão continuar a ser vistos com algumas cautelas, dado o elevado grau de incerteza de riscos ainda prevalecentes nos mercados, num ambiente que continua sendo caracterizado por baixas taxas de juros, elevadas taxas de desemprego e défices orçamentais elevados”, exortou.

Até sexta-feira, o Banco Central de Moçambique vai debater, no 24º Conselho Consultivo, o papel das infra-estruturas na promoção do desenvolvimento económico e na implantação dos serviços financeiros e a situação da bancarização da economia e extensão dos serviços financeiros às zonas rurais.

A cobertura territorial pela rede de serviços e produtos financeiros nas zonas rurais, onde vive mais da metade dos 20,2 milhões de habitantes, constitui uma das preocupações das autoridades moçambicanas que apostam no desenvolvimento dessas regiões para combater a pobreza. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH