Campanha de caju em Moçambique vai atingir 95 mil toneladas

1 February 2010

Maputo, Moçambique, 1 Fev – O Instituto Nacional do Caju (Incaju) de Moçambique mantém a previsão de 95 mil toneladas para a comercialização de caju na presente campanha, informou o jornal Notícias, de Maputo.

O diário cita uma fonte da instituição para adiantar que até à primeira quinzena de Janeiro foram comercializadas em todo o país cerca de 71400 toneladas de caju, o que representa 75 por cento do previsto.

Actualmente, decorre ainda a campanha de comercialização na região sul que deverá fornecer a quantidade em falta para se alcançar a meta programada.

Dados disponíveis indicam que as quantidades a serem comercializadas este ano, apesar de estarem ligeiramente abaixo das antecipadas 100 mil toneladas, representam um crescimento relativamente ao ano passado quando foram comercializadas 64150 toneladas.

Uma combinação de factores, nomeadamente o clima, o sucesso verificado nas campanhas de pulverização e replantio de novas mudas e ainda os recentes dados sobre o abrandamento da crise financeira mundial, emprestam novo alento para as partes intervenientes na campanha.

Movimentando mais de um milhão de famílias, algumas das quais tendo na castanha a única fonte de rendimento, a área do caju, apesar da baixa expressão a nível mundial, apresenta-se como um dos sectores estratégicos para Moçambique.

Filomena Maiópue, directora do Incaju, garantiu ao jornal que no norte do país a indústria transformadora já tem a sua matéria-prima assegurada.

No global, estima-se que a indústria nacional tenha capacidade para processar entre 25 mil e 30 mil toneladas de castanha, enquanto que outras 25 mil a 30 mil toneladas serão exportadas em bruto e as restantes processadas pela indústria informal e ou exportadas ilegalmente. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH