Japoneses querem explorar o Corredor de Desenvolvimento de Nacala, Moçambique

2 February 2010

Maputo, Moçambique, 2 Jan – Empresários japoneses equacionam usar o Corredor de Desenvolvimento de Nacala, nos próximos anos, para utilização do carvão de Moatize, extraído no distrito com o mesmo nome, na província de Tete.

Uma delegação de homens de negócio do Japão que visitou Maputo, para participar no último fim-de-semana num seminário de negócios, visitou o Corredor de Desenvolvimento de Nacala, o qual integra o porto de Nacala, na província de Nampula.

O porto de Nacala serve os países sem acesso directo ao mar, como é o caso do Malawi, o maior utilizador.

A macauhub noticiou recentemente, citando fonte governamental, que o Japão concluiu um estudo sobre o Corredor de Desenvolvimento de Nacala (CDN) e que equacionava a possibilidade de conceder crédito para contribuir para a melhoria daquela infra-estrutura.

A intervenção naquela infra-estrutura ferroportuária requer 80 milhões de dólares.

A província de Nampula, em particular, é uma das mais importantes no que diz respeito à produção agrícola, sendo de destacar a castanha de caju.

Os homens de negócios japoneses mostraram interesse em investir nos sectores de agricultura e da recuperação de infra-estruturas portuárias.

O embaixador moçambicano no Japão, Belmiro Malate, disse a jornalistas durante a visita que, paralelamente aos projectos agrícolas e infra-estruturais, arranca brevemente um projecto envolvendo Moçambique, Japão e o Brasil na área das novas tecnologias.

A delegação japonesa era composta por 50 individualidades de negócios, representando alguns dos principais grupos nipónicos e representantes dos ministérios dos Negócios Estrangeiros e Economia, Comércio e Indústria. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH