Multinacionais em Moçambique têm um ano de transição para adoptar normas contabilísticas internacionais

8 February 2010

Maputo, Moçambique, 8 Fev – As grandes empresas multinacionais que operam em Moçambique já estão a adoptar as Normas Internacionais de Relato Financeiro (NIRF) dispondo as pequenas e médias e empresas de um ano para se adaptarem, até 2011.

A adopção em Moçambique do NIRF, o sistema de contabilidade padrão a nível internacional, vem facilitar a vida a muitas grandes empresas, que até agora eram obrigadas a usar dois sistemas de contabilidade.

Segundo salienta a Autoridade Tributária de Moçambique em notas recentes sobre o NIRF, as empresas trabalhavam uma demonstração de resultados para o país em que operam, para efeitos fiscais, e outro para o país de origem, para consolidação de resultados.

A simplificação da elaboração das demonstrações de resultados das empresas deverá também permitir uma redução de custos, além de facilitar a comparabilidade dos números com os de outros países.

No caso do Banco de Moçambique, a aplicação da nova norma fez com que o regulador financeiro registasse “um impacto global positivo nos capitais próprios no valor de 416,5 milhões de meticais em relação ao valor apresentado nas últimas demonstrações financeiras”, refere.

Em cumprimento de um decreto do Conselho de Ministros que cria o Sistema de ContabilidadeEmpresarial (SCE), já estão a aplicar o NIRF desde Janeiro, as empresas públicas, de capitais maioritariamente públicos e cotadas na Bolsa de Valores de Moçambique.

O mesmo decreto altera o Regulamento do Código sobre o Imposto de Rendimento de Pessoas Colectivas (IRPC) aprovado pela Assembleia da República (AR) em Setembro de 2009, afirmou o Ministério das Finanças ao diário moçambicano Correio da Manhã.

As novas normas têm em vista disciplinar as actividades de empresas e instituições de crédito, “bem como alinhar o quadro regulamentar às melhores práticas internacionais”, segundo a mesma fonte. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH