Governo de Moçambique pretende reinício da exploração de grafite em Cabo Delgado

17 February 2010

Maputo, Moçambique, 17 Fev – O governo de Moçambique está a manter contactos com a empresa suiça Tomcal Graphite & Carbon conducentes ao reinício da exploração das minas de grafte de Ancuabe, na província de Cabo Delgado, informou o vice-ministro dos Recursos Naturais.

De acordo com o jornal Notícias, de Maputo, Abdul Razak disse ainda que um dos problemas que estão a obstar ao reinício da actividade mineira tem sido e continua a ser a falta de ligação do distrito de Ancuabe à rede eléctrica nacional.

A Timcal Graphite & Carbon, líder mundial no fornecimento de soluções relacionadas com carbono, foi seleccionada por concurso público lançado pelo governo em Maio de 2009, para a exploração das minas de grafite de Ancuabe.

De acordo com o vice-ministro dos Recursos Minerais, assim que terminar a negociação do contrato entre as partes, a empresa vai iniciar o trabalho com vista à reabertura das minas.

Em Dezembro último, o Ministério dos Recursos Minerais e a Timcal assinaram um memorando de entendimento para a aceleração do processo de negociação dos termos do contrato mineiro de prospecção, pesquisa, desenvolvimento e exploração do jazigo de Ancuabe.

As minas de grafite de Ancuabe encerraram em 1999 devido à falta de mercado para a colocação do produto, aliado ao facto dos custos de produção serem elevados por causa da produção de energia com base em geradores a gasóleo.

A exploração de grafite de Ancuabe exige baixos custos de produção e facilidades de escoamento para o mercado internacional para que o negócio seja viável. Estudos realizados na região indicam que existem em Ancuabe reservas de grafite de cerca de um milhão de toneladas.

A mina de grafite de Ancuabe foi anteriormente explorada comercialmente pela empresa Grafites de Ancuabe, uma parceria entre três companhias, de 1994 a 1999. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH