Comboios já circulam entre a Beira e Moatize, em Moçambique

1 March 2010

Maputo, Moçambique, 1 Mar – A reconstrução da linha ferroviária do Sena está praticamente concluída e pela primeira vez em 27 anos os comboios podem fazer os 547 quilómetros que ligam o porto da Beira a Moatize, Tete, anunciou o director da brigada de reconstrução da linha.

Cândido Jone adiantou, no entanto, que no percurso de 146 quilómetros entre Doa e Moatize, os comboios estão limitados a uma velocidade máxima de 25 quilómetros por hora, enquanto prosseguiram os trabalhos de alinhamento, consolidação e colocação de balastro.

“Só quando estes trabalhos ficarem concluídos é que podem começar a circular os comboios de passageiros”, disse Jone em declarações ao jornal Notícias, de Maputo.

A reconstrução a ser feita pelo consórcio indiano Rites and Ircon International (Ricon) decorre desde 2006 e até Janeiro passado tinha custado 137 milhões de dólares, financiados pelo Banco Mundial, Banco Europeu de Desenvolvimento e pelos accionistas da Companhia de Caminho de Ferro da Beira, que tem a concessão do sistema ferroviário da região centro de Moçambique, a Rinco com 51 por cento e a estatal Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique com 49 por cento.

No final de 2010, todas as estações e apeadeiros ao longo da Linha do Sena devem estar reconstruídas, com um custo de 2 milhões de dólares.

Quando a linha ficar operacional, deverá desempenhar um papel-chave no transporte de carvão da região de Moatize para o porto da Beira, se bem que tenha sido projectada para transportar um máximo de 6 milhões de toneladas por ano.

O último comboio a chegar a Moatize fê-lo há 27 anos, após o que a linha foi encerrada devido a actos de sabotagem efectuados no decurso da guerra civil, nomeadamente o arranque dos carris e a destruição da ponte Dona Ana. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH