Portugal pondera vender participação de 15 por cento na Hidroeléctrica de Cahora Bassa, Moçambique

4 March 2010

Lisboa, Portugal, 4 Mar – A participação de 15 por cento detida pelo Estado português na Hidroeléctrica de Cahora Bassa (HCB) vai ser vendida, de preferência a empresas portuguesas do sector da energia, noticiou a imprensa portuguesa.

O negócio ainda está a ser avaliado mas é antecipadamente necessário assegurar a concordância de Moçambique, tal como ficou aceite aquando do acordo entre os dois países para a alteração da estrutura accionista da HCB.

Nos termos desse acordo, Moçambique viu a sua participação passar de 18 para 85 por cento enquanto Portugal passou de 82 para 15 por cento, tendo ainda de ceder 5 por cento a uma entidade que o Estado moçambicano viesse a indicar.

Como compensação, Portugal recebeu de imediato 250 milhões de dólares a sairem dos cofres da HCB e 700 milhões de dólares a serem pagos por Moçambique. Ainda no ambito deste negócio, Portugal perdoou a dívida de Moçambique relativa à barragem no valor de cerca de 1600 milhões de dólares.

Em Novembro de 2007, o ministro português das Finanças, Fernando Teixeira dos Santos, afirmou no Songo, Tete, Moçambique, que Portugal iria entregar de imediato a Moçambique 5 por cento da participação de 15 por cento que reteve na Hidroeléctrica de Cahora Bassa (HCB).

Teixeira dos Santos disse ainda na ocasião que, relativamente aos restantes 10 por cento, Portugal tomaria “em tempo oportuno a medida que entender pois, sendo uma participação financeira, disporá dela como bem entender, quanto entender”.

A imprensa portuguesa noticiou ainda que a EDP – Energias de Portugal e a Rede Eléctrica Nacional (REN) bem como a Visabeira são algumas ds empresas eventualmente interessadas num negócio que deverá render ao Estado português cerca de 200 milhões de euros. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH