Portugal deverá chegar a 2013 com a economia a crescer 1,7 por cento

9 March 2010

Lisboa, Portugal, 9 Mar – Portugal deverá chegar a 2013 com a economia a crescer 1,7 por cento e com um défice orçamental de 2,8 por cento, de acordo com o cenário macroeconómico constante do Programa de Estabilidade e Crescimento.

O documento, a ser enviado à Comissão Europeia, informa que o défice orçamental vai passar de 8,3 por cento do Produto Interno Bruto, este ano, para 6,6 por cento em 2011, para 4,7 por cento em 2012 e ficar em 2,8 por cento em 2013, abaixo do limite de 3 por cento definido no Pacto de Estabilidade e Crescimento.

O crescimento da economia, que fica sempre abaixo de 2 por cento, passa de 0,7 por cento, este ano, para 0,9 por cento, em 2011, acelerando depois para 1,3 por cento em 2012 e para 1,7 por cento em 2013, ano final a que se refere o documento.

A dívida pública, outra das componentes a que as agências e os organismos internacionais estarão mais atentas, vai continuar a subir até 2102, chegando, nesse ano, a 90,1 por cento (85,4 por cento este ano e 88,9 por cento no ano seguinte).

No ano final do Programa de Estabilidade e Crescimento, Portugal começa a descer o montante da dívida pública, passando de 90,1 por cento em 2012 para 89,3 por cento em 2013.

Por outro lado, a taxa de crescimento do PIB português de 2011 a 2013 é a mais baixa da zona euro, que inclui os principais parceiros comerciais comunitários de Portugal, entre os quais Espanha, Alemanha e França.

No que respeita à dívida pública, Portugal apresenta a quarta maior da lista em 2011 (com 88,9 por cento do PIB), atrás apenas da Grécia (120,6 por cento), da Itália (116,5 por cento) e da Bélgica (101,4 por cento). (macauhub)

MACAUHUB FRENCH