Grupo português Mota Engil pretende sextuplicar volume de negócios em três anos em Cabo Verde

12 March 2010

Praia, Cabo Verde, 12 Mar – O grupo Mota Engil pretende sextuplicar o volume de negócios nos próximos três anos em Cabo Verde, passando dos actuais 20 milhões de euros para 120 milhões, disse quinta-feira na Praia o presidente executivo do grupo.

Em declarações à agência noticiosa portuguesa Lusa, Jorge Coelho sublinhou que o grupo português vai concorrer a “todos os concursos” de infra-estruturas e obras públicas no país, tendo já dado disso conhecimento ao governo cabo-verdiano.

Jorge Coelho adiantou que, nos contactos já estabelecidos, o grupo, através da sucursal Mota Engil Engenharia Cabo Verde (Meec), vai apostar nas parcerias com empresas locais.

As áreas prioritárias serão a construção de habitação e de estradas, ampliação de portos, construção de barragens, energias alternativas e tratamento de resíduos sólidos, este último alargado à construção de aterros sanitários.

Além de ter adquirido a empresa cabo-verdiana Penta, de aluguer de equipamentos e de maquinaria, o grupo criou também recentemente a Agir, numa parceria com congéneres cabo-verdianas, ligada ao ambiente e gestão integrada de resíduos.

Entre os projectos que o grupo tem em Cabo Verde está o da modernização do porto de Palmeira (ilha do Sal), no montante de 18,8 milhões de euros e cuja adjudicação foi garantida em Dezembro de 2009, com prazo de execução de 12 meses. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH