Internacionalização do grupo português Sonae para Angola deverá avançar este ano

19 March 2010

Porto, Portugal, 19 Mar – A internacionalização da cadeia de distribuição Modelo Continente para Angola deverá concretizar-se ainda este ano, afirmou quarta-feira na cidade do Porto o presidente do grupo Sonae.

No entanto, Paulo Azevedo acrescentou que o grupo só apostará naquele mercado se for “bem-vindo a todos os níveis”.

“Obviamente que o parceiro que nos convidou (Isabel dos Santos) tem interesse, mas para uma operação dessa envergadura e abrangência é preciso que também sejamos queridos a nível político porque nós não investimos a curto prazo”, adiantou Paulo Azevedo.

Falando à margem da apresentação das contas de 2009, o líder da Sonae informou que o estudo de mercado sobre Angola deverá estar terminado “daqui a duas semanas”.

Para Paulo Azevedo Angola “é um mercado interessante”, onde a operação da Sonae seria “muito importante para o desenvolvimento” do país, “não só no comércio moderno, mas também nas fileiras produtivas e logística”.

“Angola não tem logística interna e não tem praticamente produção agrícola, apesar de ter grandes condições para o fazer. Julgo que podíamos dar um grande contributo para o desenvolvimento de Angola”.

O empresário admitiu contudo que Angola “é um país de algum risco político e económico”, pelo que a aposta da Sonae tem de “fazer sentido”.

Sobre a internacionalização da Sonae Sierra, empresa especializada em centros comerciais, o líder da Sonae apontou o Brasil como a grande prioridade, afirmando que neste mercado a empresa pretende “acelerar o investimento”.

“Vemos o Brasil com muito interesse, talvez como o país dentro dos BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) com mais potencial e menos problemas”. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH