Brasil e China assinam documento para estimular o comércio bilateral

16 April 2010

Brasília, Brasil, 16 Abr – Os presidentes do Brasil e da China assinaram quinta-feira, em Brasília, um documento destinado a estimular os negócios entre os dois países.

O Plano de Acção Conjunta (PAC), assinado por Lula da Silva e Hu Jintao, vigorará durante o período 2010 a 2014, e abrange 11 áreas de cooperação, entre elas, agricultura, ciência e tecnologia, indústria e cultura.

“O Plano que assinamos oferece excelente roteiro para o nosso futuro comum.Permitirá uma melhor coordenação de nossa actuação global em benefício das aspirações dos nossos povos”, afirmou Lula.

Lula ressaltou que a China se tornou o principal destino das exportações brasileiras, mas afirmou que produtos com maior valor agregado precisam ser envolvidos no comércio bilateral.

Segundo ele, o intercâmbio entre os dois países cresceu 780 por cento desde 2003.

O Plano de Acção Conjunta (PAC) prevê que os dois países iniciem a discussão sobre a adopção de moedas locais no comércio entre os dois países.

Além do PAC, Brasil e China firmaram outros 13 acordos nas áreas de agricultura, energia, comunicações e cultura.

A EBX, empresa brasileira de Eike Batista, e a chinesa WISCO fizeram um acordo para a construção de um complexo siderúrgico no Porto de Açu, no Rio de Janeiro.

O investimento está estimado em 5 mil milhões de dólares dos quais 70 por cento da
empresa chinesa.

“A ideia é exportar tudo para a China, e vender também produtos com maior valor, como chapas de aço”, explicou Eike Batista.(macauhub)

MACAUHUB FRENCH