Açucareiras de Moçambique exportaram em 2009 apenas para a União Europeia

5 May 2010

Maputo, Moçambique, 5 Mai – As quatro empresas açucareiras a operar em Moçambique – Marromeu, Mafambisse, Maragra e Xinavane – exportaram no ano passado 122 mil toneladas de açúcar, uma quebra de 9 por cento face ao número registado em 2008, de acordo com o Centro de Promoção de Agricultura (Cepagri).

No seu mais recente relatório trimestral, o Cepagri adianta que pela primeira vez em 2009 Moçambique não exportou açúcar para o mercado internacional livre, tendo a exportação na sua totalidade sido canalizada para o mercado da União Europeia, no âmbito da iniciativa EBA (Tudo menos armas) e das quotas complementares.

O relatório acrescenta que a exportação de açúcar proporcionou uma receita FOB de 58,3 milhões de dólares, menos 10 por cento do que em 2008, com um preço médio ponderado de 478 dólares a tonelada.

No ano passado, as quatro empresas produziram 2,2 milhões de toneladas de cana-de-açúcar e 252 mil toneladas de açúcar, numa área total de 35 mil hectares, dando emprego directo a quase 29 mil trabalhadores, entre permanentes e sazonais.

O Cepagri adianta que nem a expansão das áreas de produção e melhoria dos rendimentos agrícolas, nem a expansão das fábricas e a melhoria da capacidade de processamento permitiram que as açucareiras de Marromeu, Mafambisse e Xinavane tivessem sucesso, tendo a Maragra sido uma excepção.

Como principais factores para a baixa produção, uma vez que os valores registados ficaram abaixo das previsões, são apontados a seca, a má distribuição das chuvas, atrasos no começo da campanha e as paralisações causadas pela instalação de novas máquinas no processo de expansão. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH