Grupo português Edifer quer reduzir dependência de Angola entrando em novos mercados

6 May 2010

Lisboa, Portugal, 6 Mai – A Edifer pretende reduzir a sua dependência de Angola e crescer em novos mercados como a Guiné Equatorial, Senegal, Moçambique e Brasil, afirmou quarta-feira em Lisboa a presidente do grupo de construção civil, Vera Pires Coelho.

Depois da presença em Angola, Líbia, Argélia, Espanha e a Cabo Verde, “estamos a estudar o Senegal, a Guiné Equatorial, o Brasil e Moçambique, que tem um importante programa de infra-estruturas rodoviárias em curso”, revelou Vera Pires Coelho, num encontro para a apresentação dos resultados anuais de 2009.

Para 2010, Vera Pires Coelho antecipa um crescimento do volume de negócios entre 5 e 10 por cento, a alcançar “através da diversificação do risco e da redução do pesa da exposição ao mercado angolano”.

A presidente do grupo adiantou que a dívida angolana à Edifer ultrapassa já 80 milhões de dólares, tendo acrescentado “não recebemos desde Dezembro de 2008”.

No entanto, Vera Pires Coelho está tranquila em relação à resolução deste problema, uma vez que após o governo de Angola ter anunciado que ia começar a pagar as suas dívidas, “estima-se que em Maio seja paga uma fatia muito significativa dessa dívida”.

A Edifer está ainda a tentar colocar as obras construídas para o governo de Angola e que ainda não foram pagas sob a alçada da linha de crédito e apoio às exportações de empresas nacionais para o mercado angolano, patrocinada pelo Estado português.

Em 2009, o grupo Edifer obteve um lucro de 19 milhões de euros, mais 84,4 por cento do que em 2008, e um facturação de 466 milhões de euros, menos 0,75 por cento face ao ano anterior, obtida em 50 por cento no mercado português. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH