China apoia aproveitamento do potencial agrícola de países africanos de língua portuguesa

10 May 2010

Macau, China, 10 Mai – A China está a estimular, através do Fórum Macau, empresas de tecnologia agrícola a envolverem-se no aproveitamento do potencial agrícola dos países de língua portuguesa, largamente inexplorado, através de investigação e formação.

A Sociedade de Alta Tecnologia Agrícola Yuan Longping e o Grupo Agrícola de Hunan reuniram-se recentemente com o Secretariado Permanente do Fórum de Macau, que manifestou apoio ao desenvolvimento da cooperação agrícola entre a China e os países de língua portuguesa.

O director-geral adjunto executivo do Instituto de Formação Internacional da Yuan Longping, Wang Xiusong, afirmou que a empresa iniciou o cultivo do arroz híbrido em 2008, em Timor-Leste, e a formação de técnicos timorenses nessa área.

A empresa foi apoiada pelo Fórum e pelo governo de Macau na tradução e elaboração de documentos, facilitando a abordagem àquele país de língua portuguesa.

No encontro, a 22 de Abril de 2010, estiveram também presentes a coordenadora do Gabinete de Ligação e delegada da Guiné-Bissau no Fórum, Florzinha Monteiro, bem como os delegados de Cabo Verde, Francisco Mendes e de Moçambique, Esmeralda Patrício.

Wang Xiusong defendeu o “aproveitamento da plataforma do Fórum de Macau com o objectivo de prestar apoio aos países de língua portuguesa na formação dos quadros técnicos agrícolas, na introdução do sistema do desenvolvimento e estudo sobre arroz híbrido, na promoção das técnicas do cultivo bem como no aumento da produção alimentar”.

Sublinhou ainda o “grande custo, longo ciclo e baixo lucro” da produção agrícola nos países de língua portuguesa, situação que torna necessárias políticas de apoio, de acordo com o Fórum Macau.

A Yong Longping já havia recebido apoio para iniciar contactos com o governo de Timor-Leste para o cultivo do arroz híbrido, resultando em Março de 2005 num protocolo de cooperação entre as duas partes.

O Secretariado organizou com a empresa um colóquio sobre desenvolvimento sustentável da agricultura, em Shangsha, para a formação de técnicos dos países de língua portuguesa.

A Yuan Longping foi incumbida pelo Ministério do Comércio da China de organizar um “Curso de Formação de Técnicas sobre Cultivo de Arroz Híbrido para os Países de Língua Portuguesa” a ter lugar em Shangsha de 8 de Junho a 27 de Setembro próximos, actividade incluída no programa de actividades do Secretariado Permanente do Fórum de Macau para o ano 2010.

O objectivo, segundo o Fórum, é aprofundar o nível das técnicas relativas ao cultivo de arroz híbrido nos países de língua portuguesa, conforme definido nos Planos de Acção de Cooperação Económica e Comercial assinados nas conferências ministeriais realizadas em Macau em 2003 e 2006.

Também o Grupo Agrícola de Hunan está a organizar um “Curso de Formação de Tecnologia de Oliveira, de Cereais e de Irrigação Agrícola dos Países de Língua Portuguesa” a ter lugar em Changsha entre 20 de Junho e 28 de Agosto, por incumbência do Ministério do Comércio da China.

Espera-se a participação dos técnicos na área de agricultura dos países de língua portuguesa neste encontro, incluído no programa de actividades do Secretariado Permanente do Fórum de Macau para o ano 2010.

O encontro, a 19 de Abril, contou com a presença do secretário-geral adjunto do Fórum Macau e dos delegados da Guiné-Bissau, Cabo Verde, Moçambique e Angola, Joaquim Pereira da Gama.

A delegação do Grupo Agrícola Hunan, chefiada por Yang Fuchu, recebeu do secretário-geral, Chang Hexi, disponibilidade para aproveitar a plataforma do Fórum de Macau para explorar os mercados lusófonos e apoio ao estreitamento de relações. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH