Empresa portuguesa de tintas vai duplicar a produção em Angola

17 May 2010

Porto, Portugal, 17 Mai – A empresa portuguesa de tintas Barbot vai duplicar a produção em Angola, 18 meses depois de iniciado a laboração naquele país, e está a analisar a construção de fábricas em Moçambique e em Marrocos, disse na cidade do Porto o presidente da empresa.

Carlos Barbot disse à agência noticiosa portuguesa Lusa que a decisão de aumentar as instalações em Angola a fim de permitir a duplicação da produção deriva do facto de a fábrica está já a operar com dois turnos, incluíndo a manhã de sábado.

Para Carlos Barbot, “em África vale a pena ter produção” pelo que a empresa está “a olhar para outros sítios”, que “poderão ser Moçambique ou outro país de expressão portuguesa”.

O empresário anunciou a alteração da estratégia de expansão em Angola, com o abandono do projecto de construir uma fábrica de raiz devido “aos preços extraordinariamente caros”, optando antes pelo arrendamento de uma nave industrial maior do que a actual, o que, acrescentou, vai permitir “avançar com outros projectos com entrada em outros mercados”.

“Mudei a forma de pensar sobre como uma empresa portuguesa se deve comportar fora de portas. Dissemos que quando corresse muito bem, compraríamos um terreno e faríamos uma fábrica, mas percebemos que se em Portugal é uma boa opção em Angola parece-nos menos boa”, afirmou.

No mercado angolano, a Barbot mantém a política de ter lojas próprias na capital, onde dispõe de quatro, antecipando um crescimento da facturação de 60 por cento, prevendo fechar 2010 com “um volume de negócios de entre 5 e 6 milhões de dólares”.

“Crescemos nos primeiros quatro meses 80 por cento. O ano passado fizemos 3,5 milhões de dólares e este ano conseguiremos entre 5 e 6 milhões de dólares”, acrescentou. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH