Caminho-de-ferro de Moçâmedes, Angola, vai receber este ano mais locomotivas e carruagens

3 June 2010

Luanda, Angola, 3 Jun – O caminho-de-ferro de Moçâmedes vai ser reforçado, ainda este ano, com mais locomotivas e carruagens de primeira, segunda e terceira classes, que começam a operar a partir da cidade do Lubango, província da Huíla, disse quarta-feira em Luanda uma fonte oficial.

Júlio Bango Joaquim, director do Instituto Nacional dos Caminhos-de-Ferro de Angola (INCFA), disse que o caminho-de-ferro vai beneficiar também de vagões para comboios recoveiros, entre os quais porta-contentores, cisterna para combustíveis, água, transporte de cereais a granel e carga geral.

“As obras de reconstrução estão bastante avançadas e, se tudo correr conforme está programado, em 2011 teremos o caminho-de-ferro de Moçâmedes a funcionar plenamente”, referiu, citado pela agência noticiosa angolana Angop.

Na terça-feira, na cidade da Huíla, Júlio Joaquim havia anunciado que a linha de caminho-de-ferro iria dispor de 56 estações de importância diversa ao longo dos 907 quilómetros do percurso entre a cidade do Namibe (antiga Moçâmedes) e Menongue, na província do Kuando Kubango.

O director do INCFA disse ainda que o troço Matala/Dongo/Dongo Novo/Entroncamento já recebeu a colocação de novos carris e respectiva balastragem, permitindo aos comboios circularem a uma velocidade máxima de 80 quilómetros à hora.

Dados históricos indicam que, em 1972 a 1973, a empresa transportou 333 mil passageiros e 4,9 milhões de toneladas de carga geral.

A região ferroviária sul de Angola abarca as províncias do Namibe, Huila, Kuando Kubango e Cunene.

A reconstrução completa da linha de caminho-de-ferro de Moçâmedes está a cargo da empresa indiana Rail India Technical and Economic Consultancy Services (RITES). (macauhub)

MACAUHUB FRENCH