Timor-Leste terá de investir USD 600 milhões nas energias renováveis

3 June 2010

Díli, Timor-Leste, 3 Jun – O governo de Timor-Leste terá de investir mais de 600 milhões de dólares para que até 2020 metade da energia produzida no país o seja com base em energias renováveis, de acordo com um comunicado do Conselho de Ministros quarta-feira divulgado em Díli.

Na sequência da apresentação ao governo de um estudo encomendado à empresa portuguesa Martifer sobre as potencialidades do país na produção de energias alternativas, o Conselho de Ministros emitiu um comunicado onde se afirma que “uma aposta nas energias renováveis é fundamental para o país”.

No texto, o Conselho de Ministros garante ainda que aquela meta permitirá “poupar mais de 50 milhões de litros de combustível e reduzir as emissões de gases em mais de 3 milhões de toneladas de CO2 equivalente”.

O estudo foi encomendado à Martifer pela Secretaria de Estado da Política Energética, com o objectivo de “definir um plano global, concreto, concertado e faseado, para a distribuição alargada de energia em todo o País, com base em fontes renováveis”.

O estudo realizado incluiu uma avaliação exaustiva dos principais recursos renováveis, o que implicou a análise aos caudais de todos os principais rios de Timor, para identificar potenciais aproveitamentos hidroeléctricos e a instalação de torres de medição eólicas para estimar as possibilidades de produção energética.

O estudo da Martifer conclui que existe um elevado potencial de produção de electricidade a partir de energias renováveis, particularmente ao nível hídrico (252 MW) e eólico (72 MW).

Foi ainda identificado um potencial relevante ao nível da energia solar, biomassa e de aproveitamento de resíduos sólidos urbanos para produzir energia e identificados mais de 50 projectos, com 451 MW de potência instalada. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH