Concessão do porto de Maputo, Moçambique, foi prorrogada até 2033

15 June 2010

Maputo, Moçambique, 15 Jun – O contrato de concessão do porto da capital moçambicana à Companhia de Desenvolvimento do Porto de Maputo (CDPM) foi prorrogado por mais 15 anos, de 2018 para 2033, informou segunda-feira em Maputo o porta-voz do governo.

De acordo com o porta-voz e ministro das Pescas, Victor Borges, a prorrogação visa permitir que o concessionário possa efectuar os investimentos necessários para que a capacidade de processamento de carga aumente para 48 milhões de toneladas/ano a partir de 2032 contra os 10 milhões de toneladas/ano actuais.

Até 2033, disse ainda o ministro, está previsto um investimento estimado em 750 milhões de dólares, montante que deverá ser suficiente para fazer com que aquele porto aumente a sua capacidade de processamento de carga para 48 milhões de toneladas ao ano.

O porta-voz precisou que parte do montante de 750 milhões de dólares caberá ao Estado mas acrescentou que a maior parte será suportada pelas três empresas associadas na parceria CDPM, entidade concessionária do recinto.

Detendo uma participação de 57 por cento, a CPDM agrupa a sul-africana Grindrod e a DP World dos Emiratos Árabes Unidos, ambas com 48,5 por cento por cento e a Mozambique Gestores com 3 por cento.

A estatal Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique controla 33 por cento do porto e os restantes 16 por cento fazem parte da carteira de activos do Estado moçambicano. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH