Enacol, de Cabo Verde, com quota de mercado de 60 por cento

7 July 2010

Praia, Cabo Verde, 7 Jul – A Empresa Nacional de Combustíveis (Enacol), empresa cabo-verdiana detida maioritariamente pelo grupo português Galp Energia, dispunha em finais de Maio passado de uma quota de mercado de 60 por cento, disse terça-feira na Praia um responsável do grupo português.

Carlos Bayan Ferreira, responsável da Área Internacional da Galp Energia e representante da mesma empresa na Enacol, salientou, em declarações à agência noticiosa portuguesa Lusa, que 2009 foi um ano “muito produtivo” e em que foram apresentados “resultados recorde”.

Bayan Ferreira, que acompanha a delegação empresarial na visita oficial a Cabo Verde do presidente português, Aníbal Cavaco Silva, disse não ter presente o volume de vendas registado pela empresa em 2009, mas ressalvou que, nesse ano, o mercado de Cabo Verde “sofreu com a crise”, pois houve uma diminuição generalizada de vendas.

Bayan Ferreira adiantou, por outro lado, que a Galp Energia se desinteressou da compra da “rival” Shell, que anunciou recentemente que iria deixar de estar presente no mercado africano de abastecimento de combustíveis, entre eles o de Cabo Verde.

“Fomos contactados (pelo governo de Cabo Verde). Mas a nossa aposta é a Enacol. É uma aposta clara, e por isso reforçámos a nossa presença no capital (48,2 por cento) pelo que não consideramos pertinente a aquisição da Shell”, disse.

Em Junho de 2009, a Galp Energia tornou-se a maior acionista da Enacol, com uma participação de 48,2 por cento, seguido pela angolana Sonangol, que aumentou para 38,13 por cento, fruto de uma alienação do Estado cabo-verdiano, que envolveu 28 por cento do capital social. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH