Lula da Silva diz em Angola que Brasil quer ajudar agricultura tropical em África

12 July 2010

Luanda, Angola, 12 Jul – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou sábado em Luanda que o Brasil pretende dar uma contribuição tecnológica a África, sobretudo na agricultura tropical, “área em que possui uma grande experiência”.

No decurso de uma escala técnica no aeroporto da capital angolana, em trânsito para o seu país, depois de ter efectuado um périplo por seis países africanos, Lula da Silva disse ser muito importante trabalhar-se com a ideia de que o Brasil precisa de estar cada vez mais próximo de África, pois, na sua opinião, “o século XXI será o século da América Latina e o século do continente africano”.

De regresso ao Brasil, Lula da Silva esteve antes em Cabo Verde, Guiné Equatorial, Quénia, Tanzânia e Zâmbia, referindo que com essa digressão já visitou 27 países africanos.

Entretanto, no contexto da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), na qual África tem cinco estados (Angola, São Tomé e Príncipe, Moçambique, Cabo Verde e Guiné-Bissau), o presidente afirmou que o papel do Brasil “é extremamente importante, não só porque nós somos a maior população de língua portuguesa (190 milhões), como somos a maior economia”.

“Eu estou convencido de que, cada vez mais, nós devemos consolidar a CPLP como instrumento importante de decisão dos países de língua portuguesa”, sublinhou o chefe de Estado brasileiro.

Luanda acolhe, a 23 de Julho de 2010, a VIII Conferência de Chefes de Estado e de Governo da CPLP, evento em que o Brasil será representado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Celso Amorim, já que o presidente Lula da Silva tenciona acompanhar de perto o problema das enchentes que se registam no nordeste brasileiro e que já vitimaram dezenas de pessoas.

Compõem a CPLP, criada a 17 de Julho de 1996, Angola, São Tomé e Príncipe, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Brasil, Portugal e Timor-Leste. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH