Brasileira Vale vai começar a extrair carvão em Moçambique este ano

22 July 2010

Maputo, Moçambique, 22 Jul – As estruturas básicas que vão permitir dar início à exploração de carvão estão concluídas em cerca de 75 por cento, afirmou em Maputo Fábio Bechara, gerente geral de Finanças e Controlo da brasileira Vale.

Na sessão de encerramento de uma conferência internacional sobre carvão realizada na capital moçambicana, Fábio Bechara disse ainda que o grupo já investiu no projecto mais de 719 milhões de dólares, devendo a extracção de carvão ter início ainda este ano e as primeiras exportações em Julho de 2011.

Globalmente, o projecto de exploração do carvão de Moatize deverá exigir ao grupo brasileiro um investimento de 1300 milhões de dólares.

O Brasil, Europa, China, Índia e Japão são alguns dos mercados já identificados para a colocação do carvão, cujas exportações podem chegar a 1,2 milhões de toneladas em 2011, com perspectiva de crescimento a partir de 2013.

O escoamento de carvão da província de Tete será efectuado em primeiro pela linha ferroviária do Sena, que apenas consegue movimentar 6 milhões de toneladas de carga por ano, e em segundo lugar por via fluvial, através do rio Zambeze.

Uma terceira alternativa é a que diz respeito à construção da linha férrea ligando Tete ao porto de Nacala num percurso estimado em cerca de 900 quilómetros.

A concretização desta iniciativa é vista por muitos dos operadores como uma alternativa segura para o projecto de carvão de Moatize, uma vez existir em Nacala um porto de águas profunda o que permitirá escoar quantidades superiores a 50 milhões de toneladas de carvão por ano.

Durante dois dias, a conferência internacional juntou diversos especialistas internacionais da indústria de carvão, de ferro e aço, energia, de infra-estruturas de transporte, investidores e outras individualidades com interesse no carvão. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH