Concessão do porto de Maputo em Moçambique prolongada até 2023

5 August 2010

A concessão do porto de Maputo ao MPDC vigora desde Abril de 2003, sendo que no seu formato inicial devia se prolongar até 2018. Com a nova extensão do acordo até 2023 o MPDC pode calendarizar de melhor forma os 700 milhões de dólares que vai investir no porto do Maputo.

O jornal escreve que “uma parte do valor do investimento será disponibilizada pelo Estado moçambicano, com a outra parte, por sinal a maior porção, a ser disponibilizada pelas três empresas parceiras no MPDC, nomeadamente a Grindrod, África do Sul, a DP World, dos Emirados Árabes Unidos e a empresa pública Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique”.

A adenda de extensão do contrato foi rubricada na última sexta-feira em Maputo pelo Vice-Ministro dos Transportes e Comunicações, Eusébio Saíde, em representação do Governo, e pelos presidentes dos Conselhos de Administração dos CFM, Rosário Mualeia, e do MPDC, Ronnal Holtshausen.

Projecções recentemente anunciadas pela direcção do porto de Maputo indicam que o porto deverá processar, este ano, 8.7 milhões de toneladas de carga, número que deverá subir para 26,2 milhões de toneladas em 2015. Até 2020, as projecções de desenvolvimento do porto de Maputo apontam para um volume de manuseamento de carga na ordem dos 34,2 milhões de toneladas de carga.

O porto de Maputo é usado nas exportações de aço, alumínio, ferro-crómio, carvão, produtos florestais, granito, açúcar, melaço, fruta e carga contentorizada, sendo igualmente usado na importação de arroz, alumina, fertilizantes, petróleo, viaturas, carga contentorizada e carga geral.(macauhub)

MACAUHUB FRENCH