Ministro afirma ser imperioso melhorar qualidade da energia eléctrica produzida em Moçambique

13 September 2010

Maputo, Moçambique, 13 Set – O principal desafio com que se defronta o sector da energia em Moçambique centra-se na necessidade de proceder a investimentos avultados para melhorar a qualidade da energia eléctrica fornecida ao consumidor, foi anunciado em Maputo.

No decurso da Reunião Anual Conjunta de Consultas entre o governo e os parceiros, o ministro da Energia, Salvador Namburete, informou que as necessidades de investimento para melhorar a qualidade da energia ascendem a 32,4 mil milhões de meticais (886 milhões de dólares), montante que não está ao alcance da empresa Electricidade de Moçambique (EdM).

No quinquénio 2005-2009 foram investidos 18 mil milhões de meticais (492 milhões de dólares) em trabalhos de extensão do acesso à energia, nomeadamente a construção de novas linhas e montagem de infra-estruturas energéticas.

Ainda inserido no quadro dos esforços para o incremento do acesso à energia, o governante disse que quer os projectos de geração de grande escala – barragem e central de Mphanda Nkuwa e as termoeléctricas a carvão de Benga e Moatize – quer os de pequena escala – recuperação das centrais de Chicamba, Mavuzi e Corrumana, a sua preparação decorrem dentro da normalidade.

“O projecto da linha de Transporte Tete-Maputo, a espinha dorsal da rede eléctrica nacional, constitui um grande desafio para o governo, dado o seu papel e a sua natureza de infra-estrutura pública”, frisou Salvador Namburete, recordando que nesta infra-estrutura a EdM deverá assumir a posição maioritária no capital. macauhub)

MACAUHUB FRENCH