Habitantes da província de Maputo, Moçambique, vão ter acesso a gás natural em 2012

22 September 2010

Maputo, Moçambique, 22 Set – Cerca de 85 mil habitantes da província de Maputo, sul de Moçambique, vão poder consumir gás natural moçambicano a partir de Junho de 2012, anunciou terça-feira em Maputo um administrador da Empresa Nacional de Hidrocarbonetos.

Em Moçambique, as maiores reservas de gás natural até agora descobertas situam-se em Temane e Pande, província de Inhambane, sul, e estão a ser exploradas, desde 2004, pela empresa sul-africana Sasol.

Tal como os distritos de Vilanculos, Inhassoro e Govuro, daquela província, já beneficiam de energia eléctrica, gerada a partir do gás natural moçambicano, também algumas empresas a operar na cidade industrial da Matola, arredores de Maputo, o usam nas suas actividades de produção.

Dentro de dois anos, será a vez dos habitantes da capital e de outros potenciais clientes da Matola e do distrito de Marracuene usufruírem, anualmente, de 45 milhões de giga joules de gás natural produzidos em Temane.

De acordo com o administrador de Engenharia, Projectos e Desenvolvimento da Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH), Paulino Gregório, as obras de construção da rede de transporte e distribuição de gás iniciar-se-ão em Março de 2011, um projecto orçado em 95,5 milhões de dólares.

O gás natural foi descoberto em Moçambique em 1962, quando a Gulf Oil fazia prospecção no campo de Pande e, após a independência, o governo moçambicano, a Empresa Nacional de Hidrocarbonetos e a sul-africana Sasol chegaram a uma série de acordos históricos que deram início ao aproveitamento daquele recurso natural. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH