Município de Zhuhai promoveu ilha de Hengqin na Feira Internacional de Macau

25 October 2010

Macau, China, 25 Out – O município de Zhuhai promoveu, pela primeira vez, na Feira Internacional de Macau a ilha de Hengqin, a terceira área estratégica da China no âmbito da política de reforma e abertura do país, para atrair investidores.

Em Setembro de 2005, o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, visitou a ilha, que quatro anos mais tarde foi classificada como a terceira área estratégica da China no âmbito da política de reforma e abertura do país, depois de Pudong, em Xangai, e Binhai, em Tianjin.

“A ilha de Hengqin é o modelo para a construção de um socialismo de características chinesas”, defendeu em 2009 o presidente da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês – o principal órgão de consulta do Partido Comunista e do governo chinês – Jia Qinglin, pode ler-se num folheto do pavilhão de Zhuhai na Feira de Macau, que dá a conhecer aos visitantes e potenciais investidores os projectos para aquela zona.

Foi a 20 de Dezembro que os trabalhos de construção arrancaram na ilha com as obras do novo “campus” da Universidade de Macau, lançadas pelo presidente chinês, Hu Jintao.

Em 2012 estará concluída a primeira fase de desenvolvimento, que abrange ainda um distrito financeiro e outro cultural, o maior parque aquático da Ásia, zona habitacional, um parque científico e tecnológico e outro para indústrias de alta tecnologia.

Até 2020, o executivo chinês prevê que a ilha tenha uma população de 280 mil pessoas com um Produto Interno Bruto (PIB) “per capita” de 200 mil yuan (30 mil dólares) face aos 4000 habitantes com PIB “per capita” de menos de 8000 yuan (1200 dólares) que apresentava no final de 2008.

O governo chinês quer “atrair até Hengqin algumas das 500 maiores empresas do mundo para localizarem ali as suas sedes e estabelecerem centros de produção, havendo também espaço para o desenvolvimento das indústrias renováveis, produção de componentes de aviação e um ‘cluster’ de indústrias biomédicas”.

A informação disponibilizada na Feira Internacional de Macau refere ainda que Pequim está a ponderar a criação de uma bolsa de valores na ilha, a oito minutos do aeroporto de Zhuhai, a 15 do aeroporto de Macau, a 30 do aeroporto de Hong Kong e a uma hora dos aeroportos de Cantão e de Shenzhen.

A zona económica especial de Zhuhai, no sul da China, celebra este ano o seu 30.º aniversário, que marca uma nova etapa para esta área geográfica com os planos de desenvolvimento de Hengqin em marcha e que irão sustentar o objectivo de Pequim de transformar o delta do rio das Pérolas na zona mais dinâmica da Ásia até 2020. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH