Riversdale Moçambique vai estudar navegabilidade do rio Chire, em Moçambique

28 October 2010

Maputo, Moçambique, 28 Out – A Riversdale Moçambique vai analisar a questão da navegabilidade do rio Chire, projecto que está a causar problemas diplomáticos entre Moçambique e o Malawi, disse ao jornal O País o presidente da empresa, Casimiro Francisco.

“Ainda não disponho de dados sólidos sobre o que realmente está a acontecer, mas dentro de três ou quatro dias deverei poder pronunciar-me sobre o assunto”, disse o presidente da subsidiária moçambicana do grupo australiano Riversdale Mining.

No passado sábado, as autoridades do Malawi inauguraram o porto de Nsanje, no rio Chire, o qual desagua no Zambeze, numa cerimónia que contou com a presença dos presidentes do Zimbabué e da Zâmbia, Robert Mugabe e Rupiah Banda, respectivamente, e de outras individualidades da União Africana e da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC, na sigla em inglês).

Posteriormente, barcos provenientes do Malawi tentaram descer o rio carregados de mercadorias mas foram impedidos de o fazer pelas autoridades moçambicanas.

Na terça-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação de Moçambique, Oldemiro Balói, reiterou a posição do governo de que a navegação nos rios Chire e Zambeze para o transporte de mercadorias de e para o Malawi e para a Zâmbia só será efectuada após um estudo de viabilidade económica que inclua a componente ambiental. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH