Crescimento da economia de Moçambique deverá ultrapassar 7 por cento este ano

3 November 2010

Maputo, Moçambique, 3 Nov – O Fundo Monetário Internacional informou que o crescimento da economia de Moçambique poderá ultrapassar 7 por cento este ano e acelerar a médio prazo para 8 por cento, disse segunda-feira em Maputo o novo representante do FMI em Moçambique.

Victor Lledó disse ainda que o desempenho económico de Moçambique permaneceu forte apesar do ambiente difícil externo, constituindo esta constatação o rescaldo da visita de uma missão do FMI que entre os dias 19 e 29 de Outubro último esteve em Moçambique, para efectuar a primeira avaliação do novo programa trienal denominado Instrumento de Apoio a Políticas (PSI) aprovado em Junho.

A crise global, segundo Lledó, teve um grande impacto na balança de pagamentos, tanto sob a forma de redução das exportações quer dos grandes projectos quer dos produtos tradicionais (camarão, castanha de caju), bem como a maior dificuldade no acesso a capitais privados, fontes tradicionais e importantes de financiamento.

“Isto requereu políticas monetárias e fiscais para eliminar as pressões externas que põem em risco o crescimento económico do país”, precisou Lledó.

Estas políticas, prosseguiu o representante do FMI, contribuíram para sustentar o crescimento económico que pode vir a ultrapassar 7 por cento em 2010, devendo acelerar a médio prazo para 8 por cento.

Neste sentido, o representante do FMI destacou a determinação do Banco de Moçambique (BM) no combate à inflação, nomeadamente através do aumento da taxa de juro de referência bem como os coeficientes de reserva obrigatória (as quantidades de depósitos obrigatórios que os bancos comerciais devem constituir junto do banco central).

O relatório da missão que visitou Moçambique estará disponível no portal do FMI após a discussão desta primeira avaliação pelo conselho administrativo em Washington, agendada para Dezembro próximo. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH