Acordo entre Moçambique e Coreia do Sul poderá culminar na construção de unidades de liquefacção de gás natural

4 November 2010

Maputo, Moçambique, 4 Nov – O acordo assinado terça-feira em Maputo entre as estatais Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH) de Moçambique e Korea Gas Corporation (Kogas) da Coreia do Sul poderá culminar na construção de unidades de liquefacção de gás natural, de acordo com o diário Notícias, de Maputo.

Destinado a formalizar a cooperação técnica e desenvolvimento conjunto de actividades ligadas à exploração de gás natural em Moçambique, o acordo implica que as duas empresas maximizem a utilização de gás natural moçambicano através de projectos nos ramos industrial, comercial, petroquímico e de geração de electricidade.

Moçambique consome diariamente cerca de 15 mil barris de combustíveis e não produz petróleo, pelo que a construção de unidades de liquefacção de gás poderia ajudar a minimizar aquele défice, dado o elevado potencial de gás existente no país.

O presidente da ENH, Nelson Ocuane, disse que do gás produzido em Pande e Temane, na província de Inhambane, 95 por cento é vendido à África do Sul e que os remanescentes 5 por cento se destinam ao mercado nacional.

“No total, o país produz 120 milhões de gigajoules de gás por ano, o que significa que se convertêssemos a quota reservada a Moçambique teríamos cerca de 550 mil barris de petróleo disponíveis para o mercado nacional anualmente”, disse ainda Ocuane.

A Kogas também participa na pesquisa de hidrocarbonetos na Área 1 da bacia do Rovuma em parceria com a ENI da Itália e a portuguesa Galp Energia, e é a única empresa de venda a retalho de gás natural na Coreia do Sul, país onde tem uma carteira de cerca de 10 milhões de clientes. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH