China financiou fábrica de processamento de algodão em Moçambique

11 November 2010

Maputo, Moçambique, 11 Nov – Uma nova fábrica de processamento de algodão vai entrar em funcionamento em Março de 2011, no distrito de Guro, na província de Manica, num investimento de 12 milhões de dólares, informou o diário Notícias, de Maputo.

A cerimónia de lançamento da primeira pedra teve lugar quarta-feira tendo contado com a presença de representantes da Embaixada da China em Moçambique,  dos governos das províncias de Tete, Manica, Zambézia e da Sociedade de Gestão Integrada de Recursos (Sogil).

Com a capacidade de processar sete toneladas de algodão por dia e de 10 mil toneladas/ano, a unidade fabril vai absorver a produção algodoeira das províncias de Manica, Tete e Zambézia.

Pertencente à Sogil, o empreendimento faz parte de um lote de três fábricas avaliadas em 50 milhões de dólares que incluem uma unidade de processamento de milho na vila de Ulónguè, em Tete, e uma outra do arroz em Namacurra, na Zambézia.

César Bento, presidente da Sogil, disse na ocasião que os três empreendimentos são financiados pelo governo da China no âmbito da parceria estabelecida entre os dois países.

Por seu turno, o secretário para a Área Económica e Comercial da Embaixada da China, Bai Min, disse que o projecto é o primeiro de uma série de iniciativas de cooperação económica que Moçambique tem com o governo da China e representa a materialização dos protocolos de cooperação financeira e comercial assinados entre os dois países.

As duas outras unidades fabris – de processamento de milho e de arroz – serão construídas ao longo de 2011. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH