China criou fundo de mil milhões de dólares para desenvolver relações com países de língua portuguesa

13 November 2010

Macau, China, 13 Nov – O primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao anunciou hoje em Macau a criação de um fundo de mil milhões de dólares para desenvolver a cooperação financeira entre a China e os países de língua portuguesa.

O fundo será criado por instituições financeiras da República Popular da China e de Macau ao longo dos próximos três anos.

Wen Jiabao, que falava na abertura da 3ª conferência ministerial do Fórum Para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, anunciou ainda a concessão de créditos de 1,6 mil milhões de yuan (242 milhões de dólares) para os Países de Língua Portuguesa de África e Ásia.

O primeiro-ministro chinês anunciou ainda a concessão de mil bolsas de estudo para que estudantes dos mesmos países e ofereceu a cada um deles equipamento médico avaliado em 10 milhões de yuan (1,5 milhões de dólares).

Wen Jiabao manifestou igualmente o apoio do governo central chinês à criação em Macau de um Centro de Formação, sob a égide do Fórum, para 1 500 funcionários, quadros e técnicos dos países de língua portuguesa.

Na sua intervenção, Wen Jiabao lembrou que desde a criação do Fórum em 2003 a China concedeu 537 milhões de dólares (3,56 mil milhões de yuan) de ajuda a Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e Timor-Leste.

O primeiro-ministro lembrou igualmente que no mesmo período a China cancelou dívidas associadas a empréstimos da ordem dos 34,6 milhões de dólares (230 milhões de yuan) aos cinco países africanos de língua portuguesa.

Wen Jiabao recordou ainda que nos primeiros nove meses deste ano, o comércio entre a China e os países de língua portuguesa aumentou 57 por cento, para 68,2 mil milhões de dólares, contra apenas 10 mil milhões de dólares em 2003.”

“A China e os países de língua portuguesa devem aumentar as suas relações bilaterais de modo a que até 2013 o volume de comércio atinja 100 mil milhões de dólares”, acrescentou o primeiro-ministro chinês.

O primeiro-ministro lembrou também que no final de 2009 os países de língua portuguesa haviam estabelecido mais de 700 empresas na China num investimento total de 500 milhões de dólares enquanto o investimento da China nesses países se cifrava em mil milhões de dólares.

Wen Jiabao defendeu que a China e os países de língua portuguesa devem explorar novas formas de cooperação e aproveitarem em pleno o potencial de Macau como plataforma entre as duas partes.

O primeiro-ministro chinês está de visita a Macau durante o fim-de-semana tendo presidido hoje à abertura da 3ª Conferência Ministerial do Fórum, em que participam um Presidente da República (Ramos Horta, de Timor Leste) e de quatro chefes de governo (China, Guiné-Bissau, Moçambique e Portugal) além de ministros de Cabo Verde, Angola e Brasil. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH